Diferente 0 X 1 Medo

Diferente 0 X 1 Medo

Diz aí, não dá nem pra contar quantas vezes você ou sua empresa deixaram de lado a diferenciação por conta do medo das reações das pessoas, dos comentários nas redes sociais, do que vão falar sobre sua marca, sua empresa, sua ideia, ninguém vai dar like, ninguém nunca fez…

Pois é, esse pensamento sempre deixa a gente esperando, sempre em 2º lugar. Esperamos alguém ter a coragem pra fazer o que a gente deveria ter feito pra esperar as reações e ver se copiamos ou se soltamos aquela célebre frase do 2º colocado: “viu falei que não ia dar certo”.

O novo representa um mergulho em direção ao desconhecido, mas é justamente aí, nesse espaço vazio, que Tenho uma opinião muito formada sobre diferenciação ao longo destes mais de 18 anos trabalhando com design e comunicação: SEM RISCO SEM HISTÓRIA! 

Rafa Brusamolin // CBO – Chief Branding Officer

Considere as opções, entenda os possíveis cenários positivos e negativos, avalie os riscos mas não deixe estas coisas te ditarem uma regra, ou mesmo te impedirem de fazer. Escolha uma ótica, se quer ver as coisas do lado positivo ou negativo? Você prefere passar despercebido, sem ser notado, sem ninguém falar da sua marca, sem ser mencionado, sem ser diferente, sem arriscar, morno, bunda-mole, ser aquela marca basicona?

Ou prefere enfrentar uma “briga” onde pode colocar seu ponto de vista, defender sua ideia, defender uma opinião, conversar sobre o assunto, criar relevância sobre algo ou ser pela primera vez o primeiro lugar! Mas acima de qualquer coisa entender que as pessoas sempre vão te amar ou te odiar (e confesso particularmente pra mim este é o melhor cenário), mesmo sem você fazer muito esforço.

Só que, é aqui que existe um divisor de águas: o que você quer?

O branding me ensinou que a gente precisa olhar pra dentro, nos entendermos, assumirmos nossa essência, promessa, posicionamento, as coisas que acreditamos, nossa visão de mundo e comunicar isso pro mundo com verdade, naturalidade e entusiasmo (parece besta mas conseguir fazer “só” isto já é um grande passo na diferenciação) e será natural as pessoas que se identificarem com sua empresa passarem a te admirar também com mais entusiasmo.

E se a história for verdadeira, acontece uma mágica GIGANTESCA, a preocupação com o medo de ser diferente vai sumindo naturalmente. Porque você começa a se preocupar com o que importa, não com o que vai agradar a maioria. Começamos a ver e se importar com mais carinho e respeito com quem também faz isto com a gente. Paramos de querer explicar, fazer o cliente entender e passamos fazer ele sentir.

A vida fica mais leve e legal! Vai por mim.

Marcas que cruzaram a barreira.

Não vou entrar muito fundo nisto, mas vou deixar os links pra todo mundo entender. A adidas em 2018 lançou uma chuteira rosa, e tadinho dos jogadores que usaram, foram atacados, mas usaram e f*da-se!

A Natura mais que fez com a campanha de Dia dos Pais com a Thammy, defendendo todas as maneiras de ser homen. Causou demais nas redes sociais, muito comentário negativo (muito mais do que positivos) mas também rolou MUUUUUITA gente vendo o lado bom, humano. E foi com isto que eles se preocuparam, foi pra estas pessoas que a campanha aconteceu e acima de tudo pra uma posição perante a sociedade que eles sempre ocuparam.

O assunto rolou durante dias nas redes sociais, virou tópico no twitter, rolou até um possível boicote a marca. Diante disto a Natura se posicionou:

“Para a Natura, ser pai é estar presente. É amar, cuidar e estar aberto a se envolver e a se emocionar com os filhos – e Thammy, assim como os demais influenciadores contratados, mostram diariamente, por meio de suas redes sociais, a presença e o cuidado no dia a dia com o filho”

Addias

Detalhe, nem vamos entrar no mérito de Brand Equity da marca que na mesma semana bateu recorde de compra das suas ações na bolsa de valores.

A revista TIME pelas primeira vez na história, em 2020, retirou o logotipo “TIME” da capa da revista e mudou para “VOTE”. Para incentivar o voto nas eleições americanas deste mesmo ano.

De novo, diferenciação não é coisa de startup e muito menos ter uma ideia que ninguém teve, inventar uma solução ou um produto macarrônico, colocar em prática e colher os frutos, até porque isto é loucura e não diferenciação.

Diferenciação é diária, é no produto, no processo, no serviço, no atendimento, na estética, na gestão, no dia-a-dia. É preciso ter cultura de se fazer isto, mas com muita verdade pra poder bancar!

Aqui na Peppers nós temos um lema: menos pera aí, mais bora lá.

E o que isso quer dizer? Que se você quer mesmo fazer uma coisa, comece. Se você quer ter um resultado diferente, comece. Se você quer uma marca forte, comece. Sabe como? Comece ligando pra gente ou mande um email clicando aqui!

Valeu pela leitura.
Menos pera aí, mais bora lá.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *