A importância dos pilares de marca

A importância dos pilares de marca 1

Não somos um site de construção civil nem de arquitetura, mas hoje estamos aqui para falar de pilares.

O que é um pilar: segundo o dicionário, pilar é uma “coluna sem ornamentos que constitui elemento vertical da estrutura de uma construção”. Ou seja, é algo que mantém uma construção em pé. E para cumprir esta função, ele precisa ser forte, sólido.

Isso vale para engenharia e arquitetura, mas também vale para marketing e branding: o conceito de pilar que temos em nossa área de atuação são os pilares de marca. E se, na construção civil pilares fracos ou malfeitos comprometem toda a estrutura de um prédio, no branding uma marca com pilares fracos também pode ruir.

Os pilares de marca representam os ideais daquela marca/empresa, que sustentam seus valores, sua missão e suas normas de conduta. Os pilares servem de base para a formação da personalidade e da identidade de uma marca. Uma marca com pilares sólidos e bem construídos é mais forte, tem uma base mais sólida, e consegue mostrar que tem ideais concretos.

Como descobrir os pilares de marca?

Mas afinal, quais são os pilares de uma marca? Isso varia muito, pois depende da área de atuação, dos valores da empresa, e de como ela é vista pelo público. Pois é, o ponto de vista do público também deve ser levado em conta para fortalecer os pilares de uma marca.

É comum gestores acharem que estes pilares devem partir somente de dentro, mas a verdade é que não é bem assim: os pilares são afetados também por como o público enxerga sua marca, e se ruídos na comunicação interferem na forma como sua marca é vista, isso pode indicar que um reposicionamento estratégico é necessário para garantir que os pilares não percam força.

Para descobrir se a imagem que você projeta está alinhada com a imagem que seu público recebe, um estudo pode ser necessário, ou mesmo um monitoramento mais próximo dos hábitos de consumo de seus clientes.

Conhecimento é essencial

Na hora de construir seus pilares, é importante que uma empresa tenha bem claros para si alguns valores que podem (ou não) ter de ser estudados junto ao público. Tais como:

Lealdade à marca: sabe como tem gente que só toma Coca-Cola, ou quem só usa iPhone? Isso é lealdade. Não é algo fácil de alcançar, mas é uma força extra, e representa mais um obstáculo para os concorrentes. Afinal, não “pode ser Pepsi” para quem só bebe Coca-Cola.

Qualidade percebida: sua empresa pode ter o melhor produto do mercado, mas seu cliente tem consciência disso? O que você faz para comprovar isso em sua comunicação? A forma como seu público vê a qualidade do s eu produto afeta diretamente sua marca, e o índice de lealdade que mencionamos acima.

Diferenciação: essa é fácil de sacar, mas nem tão fácil de ter. Pergunte-se: o que o seu produto tem de especial? O que vai fazer o cliente preferir ele ao do concorrente? Essa diferenciação nem sempre é algo tangível, mas é importante que ela esteja clara tanto para você quanto para o cliente e seja verdadeira.

Posicionamento da marca: hoje em dia, ter o melhor produto não basta. Sua empresa precisa ter um posicionamento respeitável, algo que gere um impacto positivo no planeta, na sociedade, nas pessoas. Aqui o famoso “não seja c#zão” se aplica, mas não para por aí: tente ir além. Vai fazer bem para você, não só para sua empresa.

Relevância da marca: sua marca está na cabeça do povo? Uma marca conhecida soa mais confiável e próxima ao cliente, e as pessoas tendem a comprar o que lhes é familiar, pois isso torna o processo de decisão e compra mais confortável. Sem contar que o conhecimento eleva o valor de mercado da marca, refletindo diretamente nas questões de lealdade e qualidade percebida que já mencionamos.

Estima: este é um fator emocional que pode estar diretamente ligado ao posicionamento. Sua marca está presente na vida das pessoas? Se conecta com elas de uma maneira que gera afeição, estima? Isso é algo muito poderoso, e embora não seja possível criar estima por qualquer produto, é possível criar estima por qualquer marca – basta ela saber como fazer isso.

Vale ressaltar que estes tópicos que mencionamos acima NÃO SÃO os pilares de uma marca, mas conhecer tudo isso é fundamental, pois este conhecimento nos ajuda a definir os pilares de marca de forma mais assertiva. Rola uma simbiose: os pilares dependem destes atributos, e os atributos fortalecem os pilares.

Definir pilares de uma marca demanda muito conhecimento em branding. Nem todo mundo tem isso. Felizmente, não é algo que precise ser feito internamente: estamos aí para tomar um café e ajudá-lo a fortalecer sua marca. Só chamar! 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *